De acordo com os resultados da 6.ª edição do estudo Bloom Consulting Portugal City Brand Ranking©, onde é medido o desempenho de marca dos 308 municípios portugueses, Penafiel continua a ser considerado o melhor concelho do Tâmega e Sousa para “Viver”, “Visitar” e “Investir”, ocupando o 17.º lugar da Região Norte e o 50.º lugar a nível nacional.

Da execução bastante positiva nas 3 vertentes em estudo, destaca-se a subida no ranking na área de investimento, onde “Penafiel é o 33º município nacional com variação mais positiva”, situação que decorre da elevada procura por parte de investidores, empresários e empreendedores em canalizarem os seus investimentos na nossa Cidade.

Para o Presidente da Direcção da AEP, Pedro Bessa

“os interessantes resultados verificados na subida de Penafiel no ranking do investimento estão necessariamente ligados, por um lado, à qualidade da maioria das empresas já instaladas em Penafiel que confere uma dinamização constante no tecido empresarial e, por outro lado, à elevada expetativa de obtenção de retorno criada por parte dos empresários que veem neste território o local ideal para a implementação de novas empresas ou para a deslocalização de empresas já existentes. A AEP acredita que, com a entrada em funcionamento prevista do Centro de Negócios e do Balcão do Investidor – projetos em fase de implementação resultantes de uma parceria entre a AEP e a Autarquia –,  a tendência positiva de melhoria de Penafiel no ranking da área do investimento deve e pode acentuar-se ainda de forma mais vincada. Enquanto Presidente da Associação Empresarial do Concelho, o resultado deste estudo não serve, em circunstância alguma, para nos criar um sentimento de que tudo está feito, mas serve para nos motivar e desafiar a conseguirmos ainda melhores resultados”.

https://www.bloom-consulting.com/pdf/rankings/Bloom_Consulting_City_Brand_Ranking_Portugal.pdf

 

A AEP – Associação Empresarial de Penafiel, informa que estão abertas as novas fases de candidaturas de sistemas de incentivos à Qualificação e Internacionalização para a sua empresa.

Qualificação

(incentivo não reembolsável de 45% )

Este incentivo procura reforçar a capacitação empresarial das PME através da inovação organizacional, aplicando novos métodos e processos organizacionais, e incrementando a flexibilidade e a capacidade de resposta no mercado global, com recurso a investimentos imateriais na área da competitividade, e aumentar a qualificação específica os ativos, em domínios relevantes para a estratégia de inovação, internacionalização e modernização das empresas.

Prazo limite
dia 28 de Setembro

Despesas
Inovação de marketing ou inovação organizacional; Economia digital; Criação de marcas; Qualidade. Despesa mínima elegível é de 25 mil euros.

Concurso para apresentação de candidaturas:
Aviso nº26/SI/2018 QualificaçãoPME

Internacionalização

(incentivo não reembolsável de 45% )

Este incentivo procura reforçar a capacitação empresarial das PME através do desenvolvimento dos seus processos de qualificação para a internacionalização, valorizando os fatores imateriais da competitividade, permitindo potenciar o aumento da sua base e capacidade exportadora.

Prazo limite
dia 31 de Outubro

Despesas
Participação em feiras; Viagens de prospeção; Estudos de Mercado; Stands. Despesa mínima elegível é de 25 mil euros.

Concurso para apresentação de candidaturas
Aviso nº27/SI/2018InternacionalizaçãoPME

 

Apoiamos o enquadramento do seu projeto, contacte-nos!

Estão abertas as candidaturas ao SI2E – Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego (GAL – ADERSOUSA)
A AEP – Associação Empresarial de Penafiel apoia os promotores na fase de candidatura e execução dos seus projetos.

Incentivo não reembolsável que pode ir até 40% das despesas elegíveis


Destinatários

  • As micro e pequenas empresas  e ENI (certificação PME obtida no site do IAPMEI)

Data Limite para Apresentação de Candidaturas

  • 31 de Outubro de 2018 até às 16 horas.

Projetos a Apoiar
São passíveis de financiamento do SI2E as seguintes tipologias de operações:

  1. Criação de micro e pequenas empresas ou expansão ou modernização de micro e pequenas empresas criadas há menos de cinco anos;
  2. Expansão ou modernização de micro e pequenas empresas criadas há mais de cinco anos.

Despesas Elegíveis

  • Custos de aquisição de máquinas, equipamentos, respetiva instalação e transporte;
  • Custos de aquisição de equipamentos informáticos, incluindo o software necessário ao seu funcionamento;
  • Software standard ou desenvolvido especificamente para a atividade da empresa;
  • Custos de conceção e registo associados à criação de novas marcas ou coleções;
  • Custos iniciais associados à domiciliação de aplicações, adesão inicial a plataformas eletrónicas, subscrição inicial de aplicações em regimes de «software as a service», criação e publicação inicial de novos conteúdos eletrónicos, bem como a inclusão ou catalogação em diretórios ou motores de busca;
  • Serviços de arquitetura e engenharia relacionados com a implementação do projeto;
  • Material circulante relacionado com o exercício da atividade que seja imprescindível à execução da operação;
  • Estudos, diagnósticos, auditorias, planos de marketing e projetos de arquitetura e de engenharia essenciais;
  • Obras de remodelação ou adaptação, desde que contratadas a terceiros não relacionados com o adquirente beneficiário dos apoios;
  • Participação em feiras e exposições no estrangeiro, custos com o arrendamento e serviços prestados pelas entidades organizadoras das feiras, custos com a construção e o funcionamento do stand;
  • Despesas com remuneração de postos de trabalho.

Indicador de Resultado

  • Número de Postos de Trabalho a criar que se mantêm 12 meses após o fim do apoio.

Portaria 105/2017 de 10 de Março


Para mais informações contacte o Gabinete de Estudos e Projectos da AEP